Escola Bom Pastor promove atividades na Semana da Inclusão Escolar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

O mês de outubro fechou com chave de ouro para a Escola Bom Pastor em Foz do Iguaçu. Na Semana da Inclusão Escolar a escola celebrou a data com um curso certificado pelo Instituto de Neuro Psicopedagogia Espaço Gene Gouveia que aceitou o convite de mediar a conversa sobre o tema com toda a comunidade escolar.

Localizada no Jardim Lancaster, a Escola Bom Pastor é considerada pelos melhores centros de atenção à infância especial como uma das melhores escolas inclusivas do município.  

Segundo a diretora da Escola, a professora Rosely Barz, a inclusão escolar não é coisa que acontece de um dia para o outro e deve ser entendida na escola como uma oportunidade para todos. De acordo com especialistas, crianças de escolas inclusivas aprendem mais do que outras a enfrentar desafios, a lidar com a diversidade, a aceitar as limitações do outro e as próprias limitações. “Com a inclusão escolar toda escola recebe importantes lições de tolerância, solidariedade e compromisso com o próximo”, afirma a diretora.

Entre as atividades realizadas na Semana da Inclusão Escolar da Escola Bom Pastor, que representa formação contínua aos seus educadores, estava o envio de informações e dicas sobre o tema para as famílias através da agenda digital da escola e um curso aberto à comunidade ministrado pela equipe de diagnóstico e acompanhamento do Espaço Gene Gouveia.    

A neuropedagoga Gene Gouveia falou sobre prevenção e tratamentos dos principais transtornos de aprendizagem na infância e alertou para o uso de drogas lícitas ou ilícitas durante a gestação.  Um dos transtornos mais comentado foi o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) que acomete 6% da população mundial e que afeta principalmente o comportamento escolar. 

Gene Gouveia falou sobre prevenção e tratamentos dos principais transtornos de aprendizagem na infância e alertou para o uso de drogas lícitas ou ilícitas durante a gestação. Um dos transtornos mais comentado foi o TDAH (Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) que acomete 6% da população mundial e que afeta principalmente o comportamento escolar porque já que crianças com TDAH são com frequência impulsivos e possuem dificuldade de estabelecer relação de causa e consequência. 

Segundo sua equipe nem todo menino “levado” ou inquieto é portador de TDAH. O diagnóstico somente pode ser feito de forma interdisciplinar, ou seja, por mais de um profissional de áreas diferentes trabalhando em conjunto e o trato diferenciado no ambiente escolar é garantido Lei e deve ser apoiado por toda comunidade. 

 Atualização 

A Escola Bom Pastor realiza com frequência cursos para garantir a formação e atualização de seus professores. Dessa vez, toda comunidade escolar foi convidada a participar do evento já que o tema da inclusão escolar, segundo o colégio, não deve acontecer apenas na hora da matrícula, deve ser uma responsabilidade de todos, um processo. As profissionais do Espaço Gene Gouveia parabenizaram o colégio pela iniciativa. 

“É com informação que se supera o preconceito. Crianças especiais não são piores e nem melhores do que as outras; elas apenas enxergam o mundo de forma diferente, aprendem de forma diferente e reagem de forma diferente aos diferentes estímulos e, por esse motivo, devem ser acolhidas por pais, professores e amiguinhos de forma especial. Dessa acolhida depende seus avanços e sua adaptação na sociedade” – afirmou a especialista.

 

SERVIÇO

Escola Bom Pastor – Educação Infantil e Ensino Fundamental

Av. Florianópolis, nº 2360 – Jardim Lancaster

Informações: (45) 3524 7939 ou (45) 3025-7912 Celular: (45) 99134-4670

Site: www.escolabompastorfoz.com.br/home/index.php  

Explore mais