Foz do Iguaçu passa a integrar a Câmara de Turismo 4.0

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Colegiado coordenado pelos ministério de Turismo e de Ciência, Tecnologia e Inovações trata projetos estratégicos para potencializar atividade turística nos principais destinos do país

Com dois assentos, Foz do Iguaçu passa a integrar a Câmara de Turismo 4.0 – colegiado coordenado pelos ministérios de Turismo e de Ciência, Tecnologia e Inovações – que debate projetos estratégicos nas áreas de tecnologia e inovação voltados a potencializar a atividade turística nos principais destinos do país.

“Há poucos dias, o ministro Gilson Machado anunciou a entrada de Foz no projeto de Destinos Turísticos Inteligentes. Será feito um diagnóstico das cidades turísticas e todas as vertentes de segurança, saúde, educação, inovação e outras variáveis”, disse o secretário municipal de Turismo, Projetos Estratégicos e Inovação, Paulo Angeli.

“A Câmara de Turismo 4.0 trata e discute todos os projetos na área de inovação turística em nível nacional. Foz do Iguaçu terá dois assentos: um do Município e outro para o Parque Tecnológico Itaipu. A partir de agora, estamos na Câmara que é o fórum de discussão da inovação na área do turismo”, completou Angeli.

Os objetivos da câmara técnica, lançada em outubro de 2020, incluem identificar gargalos para adoção de ferramentas tecnológicas e auxiliar no compartilhamento de informações. São três grupos de trabalho voltados aos profissionais do setor, desenvolvimento de destinos turísticos inteligentes e soluções e tecnologias digitais. “Podemos linkar o trabalho do PTI em relação às smart cities, do sandbox da Vila A e a criação de um centro municipal de inovação”, disse o secretário de Turismo.

Expertises

A câmara tem ainda como meta fomentar o desenvolvimento de novas tecnologias no setor e incentivar a criação de startups voltadas ao segmento. Foz do Iguaçu, por exemplo, já foi escolhida como uma das cidades-sede do Wakalua – hub de inovação através de colaborações público-privadas, envolvendo startups, investidores, corporações, governos, instituições não-governamentais e academia vinculados ao setor do turismo.

O diretor superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, avalia que o parque tecnológico será peça estratégica na Câmara de Turismo e destaca a importância de iniciativas inovadoras voltadas ao turismo. “Temos uma boa proximidade com projetos inovadores e soluções tecnológicas que podem gerar emprego e renda. Assim, acredito que com as expertises, o PTI fará parte do processo de ideação e execução da transformação digital proposta aos destinos turísticos”, disse.

Representar Foz do Iguaçu, segundo Garrido, é colocar em prática o propósito do parque tecnológico, que visa transformar conhecimentos e tecnologias em soluções para o progresso da sociedade. Além disso, o PTI faz a gestão do turismo de Itaipu, que conta com cinco passeios ativos – Itaipu ByBike, Itaipu Panorâmica, Itaipu Ecomuseu, Refúgio Biológico, e Itaipu Tour Virtual – e que faz parte do ranking dos destinos mais visitados da tríplice fronteira.

(AMN)

More to explorer