IAP concede licença ambiental para projeto de duplicação da Rodovia das Cataratas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), em ato assinado no dia 3 de junho, concedeu a tão esperada Licença Ambiental Prévia (LP) para o projeto de duplicação de 8,82 km da Rodovia BR-469, mais conhecida como Rodovia das Cataratas, no trecho entre o trevo de acesso à Ponte Tancredo Neves e o portão de acesso ao Parque Nacional do Iguaçu. A Licença Ambiental Prévia foi emitida após aprovação do relatório de avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan.

“Agora, finalmente, o projeto de duplicação está completo e apto a ser doado para o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), para que possamos viabilizar os recursos necessários para execução das obras. O custo previsto da duplicação e das obras de arte é de R$ 98 milhões”, afirma Gilmar Piolla, superintendente de Comunicação Social da Itaipu Binacional, que também é vice-presidente do Fundo Iguaçu e secretário-geral do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu – Codefoz. Ele foi responsável pela coordenação dos trabalhos.

O projeto de duplicação da BR-469 foi desenvolvido pela Engemin, uma das mais conceituadas empresas de engenharia de obras de infraestrutura do Paraná, contratada pelo Iguassu Convention & Visitors Bureau, com apoio da Itaipu Binacional e do Fundo Iguaçu.

Piolla explica que, para receber projetos em doação, o Dnit, por normativa interna, exige que os mesmos sejam acompanhados da devida licença ambiental. Para tanto, foi necessário contratar estudos e realizar escavações arqueológicas na área da faixa de domínio a ser utilizada para a duplicação da BR-469. “O Dnit receberá os projetos básicos e de engenharia, assim como os estudos de impacto ambiental e o licenciamento ambiental”, informa. A data da doação será agendada com a direção do Dnit e o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

O projeto de duplicação prevê que a rodovia será alargada nos dois lados, no trecho entre o trevo de acesso à Argentina e a entrada do Parque Nacional do Iguaçu, o que permitirá o aproveitamento da faixa de domínio do Dnit. As obras incluem a construção de avenidas marginais em boa parte do trecho.

O projeto prevê também ciclovias dos dois lados da pista, duas passarelas de pedestres, dois passa-bichos, cinco retornos em nível com faixas extras de desaceleração e aceleração, um viaduto no acesso ao aeroporto, duas trincheiras, ponte elevada no rio Tamanduá e uma rotatória nas proximidades da entrada do Parque Nacional do Iguaçu.

Para o presidente do Fundo Iguaçu, Carlos Silva, a duplicação da Rodovia das Cataratas é “um sonho antigo da comunidade” e vai “auxiliar no desenvolvimento do município”. Ele lembra que a BR-469 é fundamental para Foz do Iguaçu, já que é a única via de acesso às Cataratas e ao Aeroporto Internacional. Por isso, a partir de agora, será necessário “chegar às autoridades para que os recursos sejam alocados”. 

(Itaipu Binacional)

Explore mais