Itaipu assina ordem para segunda fase das obras do Mercado Municipal

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

A Itaipu Binacional assinou nesta segunda-feira, 24, a ordem de serviço para a segunda fase de obras do Mercado Municipal de Foz do Iguaçu. Nos próximos dias deve começar uma grande movimentação de operários no local onde funcionava a antiga Cobal, que na época da construção da usina de Itaipu abastecia de alimentos os barrageiros e moradores da região.

Enquanto a primeira fase foi para recuperação de toda a estrutura do prédio de mais de 40 anos, agora será executada a parte de instalação dos boxes, restaurantes, lojas e outros tipos de comércio. A previsão é que o mercado esteja concluído até o final de 2019. O investimento desta segunda fase é de aproximadamente R$ 9,1 milhões, num total aproximado de R$ 10 milhões. 

Na terça-feira da semana que vem, 2 de outubro, os parceiros envolvidos na obra deverão dar entrevista coletiva para detalhar os próximos passos, que incluem também a instalação dos equipamentos de ar condicionado, entre outras melhorias. Para o ar condicionado, haverá um pregão eletrônico específico.

Uma das maiores reivindicações da população de Foz do Iguaçu, o Mercado Municipal é considerado “uma peça imprescindível para o desenvolvimento da cidade”, na avaliação do prefeito Chico Brasileiro. O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Marcos Stamm, afirma que o mercado será uma opção de lazer e de comércio para os iguaçuenses, além de uma nova atração turística. Para o diretor de Coordenação, Newton Kaminski, responsável pelo setor que coordena a obra por Itaipu, a expectativa é que, quando estiver em pleno funcionamento, o mercado gere 500 empregos diretos e indiretos e movimente grande parte da economia local.

Projeto do PTI

O projeto executivo, elaborado pelo Parque Tecnológico Itaipu, prevê a instalação de 70 boxes moduláveis para atender cerca de 50 empreendimentos, incluindo hortifrutigranjeiros, açougue, peixaria, laticínios e frios, empório, bebidas, mercearia, temática, étnica, quiosque e restaurante. Cada boxe terá de 14 a 50 metros quadrados. Alguns empreendimentos, como os restaurantes, poderão ocupar mais de um boxe.

Entre outros benefícios, o espaço permitirá a valorização da agroindústria regional, produção e a comercialização de produtos da agricultura familiar. A construção é uma parceria da Itaipu com o PTI e a Prefeitura. 

A obra será o máximo possível sustentável. Para obter eficiência energética, utilizará várias plataformas para economizar e gerar energia, com painéis solares e de energia fotovoltaica. Haverá, também, recursos para economia de água, incluindo o aproveitamento da água captada da chuva. O Mercado Municipal contará com estacionamento para 163 veículos e mais vagas para motos e bicicletas. Para acessibilidade, haverá rampas de acesso.

(Itaipu Binacional – Fotos: Nilton Rolin e Divulgação)

Explore mais