Itaipu e Fundação Itaiguapy traçam planos para aprimorar serviços do Costa

WhatsApp Image 2023-10-17 at 11.18.41
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

A nova diretoria da instituição gestora quer tornar o atendimento do Hospital ainda mais moderno, ágil e eficiente

Na segunda-feira, (16), a diretoria da Fundação Itaiguapy, que administra o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), se reuniu com o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Enio Verri, no Centro Executivo, para alinhamento dos planos traçados pela nova gestão. A Itaipu é mantenedora da Fundação.

A nova gestão do HMCC, sob o comando do diretor-superintendente, Gilmar de Oliveira, atua para tornar a instituição, uma das mais importantes do Sul do País, ainda mais moderna, ágil, eficiente e com excelência na prestação dos seus serviços.

Cerca de 60% dos pacientes atendido pelo HMCC são do Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital emprega em torno de 1.200 trabalhadores(as) e possui corpo clínico formado por mais de 400 médicos(as).

Desde que tomou posse, em 17 agosto, o administrador recebeu do diretor-geral da Itaipu, Enio Verri, a missão de tornar o atendimento igualitário para todos os pacientes. “Afinal, nossa cidade e região têm essa característica [de receber grande número de pacientes do SUS]”, disse na ocasião.

Oliveira conta que o primeiro passo neste novo desafio foi fazer um processo de um reconhecimento geral da instituição, incluindo o perfil dos principais grupos de clientes (pacientes) e os serviços oferecidos.

Também nesse processo foram verificados a estrutura hospitalar e ambulatorial disponível e suas carências, os macroprocessos, a estrutura organizacional e os projetos de melhoria planejados ou em andamento.

Paralelamente, foi iniciado um processo de alinhamento contínuo entre diretores, corpo gerencial, corpo clínico, coordenações médicas e equipe de supervisão. “O objetivo é buscar mais sinergia entre as diversas áreas da instituição, evitando dispersão da energia de todos(as) os(as) colaboradores(as)”, diz.

Num segundo momento, num aspecto mais prático, foi aberta uma linha de ação em duas frentes: a primeira, de curto prazo, inclui a continuidade das rotinas e dos projetos em andamento, assim como algumas ações emergenciais relacionadas a gargalos em processos, pequenas obras de adequações, gestão de contratos, relacionamento com clientes (planos de saúde, inclusive o SUS) e as corretivas acordadas com a Vigilância Sanitária e o Ministério Público do Trabalho.

O diretor-superintendente cita também como exemplo o plano de ação para aprimoramento da gestão da qualidade, que visa, entre outros, a recertificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), mas, principalmente, a retomada da construção de uma cultura organizacional voltada à qualidade.

Uma outra frente, de médio prazo, busca contemplar as metas planejadas para o próximo ciclo de gestão (2024-2027). “Pretendemos estruturar esse trabalho a partir de um processo coletivo de revisão do planejamento estratégico da Fundação de Saúde Itaiguapy, que pense a instituição para os próximos 4 a 5 anos e que reflita os anseios da Diretoria da Itaipu, na condição de instituidora e parceira”, afirmou Oliveira.

Em outras palavras, “pretendemos buscar respostas para algumas questões que orientarão a atuação da instituição. O que queremos ser no futuro, quais negócios devemos ampliar/reforçar, ou outros que devemos retirar, que resultados/metas são esperados? Para, a partir daí, dotarmos a instituição dos meios (estrutura, instalações, pessoas, processos, tecnologia, etc.) para persegui-los, da forma mais planejada possível, reduzindo imprevistos e contingências”, analisa.

Em todos esses cenários imaginados, o diretor-superintendente reforça: “precisamos ter uma instituição moderna, ágil, eficiente e com excelência na prestação dos seus serviços”. Os desafios são grandes e há muito trabalho pela frente: “Até assusta um pouco, confesso, mas, ao mesmo tempo, muita coisa já está sendo feita”, finaliza.

Mais sobre o Hospital
Inaugurado em 1º de julho de 1979, o HMCC completou 44 anos em 2023. Inicialmente, foi criado para atender uma população de 40 mil pessoas – operários e familiares que vieram a Foz do Iguaçu para a construção da usina de Itaipu.

No início da década de 1990, com a redução dos empregados que trabalhavam na obra, o hospital abriu a estrutura para a comunidade. Criou-se, então, a Fundação de Saúde Itaiguapy, para administrar o Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

O complexo hospitalar ocupa uma área construída de mais de 25 mil metros quadrados. A instituição conta com leitos de internação, Unidades de Terapia Intensiva Geral, Coronariana, Neonatal e Pediátrica, Centro Cirúrgico, Centro Clínico atendendo mais de 40 especialidades, Pronto Atendimento, Pronto Socorro, Laboratório de Análises Clínicas, Centro de Oncologia, Serviço de Imagem e um Plano de Saúde próprio – o Itamed.

Um dos títulos que a unidade hospitalar mais se orgulha é de ser um Hospital Amigo da Criança. O HMCC também possui nível máximo de acreditação hospitalar, com excelência, e é considerado um dos melhores hospitais do Brasil pela revista americana Newsweek.

(Itaipu Binacuonal – Fotos: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional)

Explore mais