Itaipu Slackline World Cup supera expectativas e termina com brasileiro no pódio

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Terminou no domingo (11), em Foz do Iguaçu, o Itapu Slackline World Cup, maior evento da modalidade realizado na América Latina. A data entra para a história com o maior número de participantes e de público em um evento de Slackline.

A comemoração foi ainda maior com a vitória do brasileiro Pedro Rafael Marques, o Pedrinho, que, além de levar o título da etapa, emplacou o recorde mundial de pontuação ao conseguir incríveis 533,71 pontos. O recorde anterior – 400 pontos – já pertencia a ele.

Na cerimônia de premiação, ainda na noite de domingo, o campeão não conseguiu conter a emoção. “Esse sempre foi meu sonho e agora consegui realizar. Estou muito emocionado, ainda mais com essa torcida toda festejando com a gente. Ainda não estou acreditando”, disse Pedrinho, em lágrimas.

O jovem de 19 anos nasceu em Jericoacoara, mas vive hoje em Fortaleza, capital do Ceará. Com simpatia de sobra, ele conquistou o carinho do público, que torceu por ele do começo ao fim das batalhas.

O vice-campeão foi Felix Carrera, brasileiro naturalizado americano que vive hoje nos Estados Unidos. Carrera foi campeão do mundial em 2014 e em Foz do Iguaçu chegou à marca de 401,52 pontos. O chileno Abraham Hernandez assegurou a terceira colocação, com 384,87 pontos. Diogo Fernando, de Blumenau (SC) ficou em quarto lugar, com 351,2 pontos.

Feminino – A atleta Giovanna Petrucci, do Rio de Janeiro, garantiu o título do Campeonato Brasileiro Feminino. Giovana já possui dois títulos mundiais em seu currículo. Luana Duracel, de São Paulo, foi a segunda colocada; a iguaçuense Dalva Machado ficou em terceiro lugar. 

Futuro – Para o organizador do evento e presidente da Adere (Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia), Marcelo Penayo, o Mundial superou todas as expectativas, tanto de organização quanto dos atletas.

“Nós da Adere trabalhamos muito para que tudo desse certo. O resultado foi esse evento maravilhoso, que mobilizou desde atletas internacionais até a comunidade de Foz do Iguaçu. Já estamos pensando em nossos próximos eventos e vamos com tudo”, comemorou.

A Itaipu Binacional, que promoveu em conjunto com a Adere o campeonato mundial de slackline, pretende continuar apoiando novas edições. Segundo o superintendente de comunicação social da Itaipu Binacional e também presidente do Fundo Iguaçu, Gilmar Piolla, o evento consolida Foz do Iguaçu como destino de esportes radicais.

“Capital do Slackline”  – “É um evento de uma modalidade nova, mas com muitos adeptos no mundo inteiro, especialmente no Brasil. E vem exatamente na linha do que estamos buscando fazer para renovar a identidade do Destino Iguaçu com os novos públicos consumidores de turismo. É algo que permite que Foz do Iguaçu se consolide como um destino de esporte de ação do Brasil”, disse Piolla.

E adiantou: “É um evento que veio para ficar e pretendemos, a partir de agora, incluir no calendário de eventos da cidade, junto com a Meia Maratona, o Festival de Turismo e as demais competições. Foz é um chamariz, não só no esporte, mas para todos os tipos de evento. Queremos nos tornar a capital do Slackline no Brasil”.

Depois da premiação aos atletas vencedores, o campeonato foi finalizado comum show da banda Oriente, do Rio de Janeiro, que aproveitou a arena lotada para gravar seu DVD. A banda Oriente também foi parceira da Copa do Mundo do Slackline.

Classificação geral – Pela nova regra de arbitragem, os oito primeiros colocados do mundial são classificados. Entre os oito, estão quatro brasileiros e um brasileiro naturalizado americano. Todos receberão prêmios em dinheiro, num total de US$ 20 mil.

 

Pedro Rafael (Fortaleza – CE) – 533,71

Felix Carrera (EUA) – 401,52

Abraham Fernandez (Chile) – 384,87

Diogo Fernando (Blumenau – SC) – 351,2

Alex Mason (EUA) – 330,89

Cleyton Silva (Guarujá – SP) – 295,32

Luke Diestel (Alemanha) – 291,91

Rafael ‘Backbounce’ (Vitória-ES) – 273,94

 

 

(Texto: Thays Petters Com Gerson Filho – Fotos: Marcos Labanca e Nilton Rolin)

More to explorer