Marco das 3 Fronteiras será o terceiro maior atrativo turístico de Foz do Iguaçu

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O início das obras de revitalização do Marco das Três Fronteiras devem iniciar em breve, transformando o local no terceiro maior atrativo turístico de Foz do Iguaçu, atrás apenas do Parque Nacional do Iguaçu e Complexo Turístico de Itaipu.

As obras serão realizadas pela empresa Cataratas S.A, que venceu em maio a licitação para modernizar e administrar o atrativo turístico, com um investimento de R$ 27,8 milhões e previsão de término em dois ano e prazo da concessão de 15 anos. A empresa ganhadora prometeu que a área ganhará uma vila de entretenimento inspirada nas Missões Jesuíticas, com instalações cenográficas históricas para resgatar e celebrar a arquitetura dos antigos povoados indígenas. 

Recentemente a empresa apresentou a equipe de gestores do contrato de concessão para revitalização do local aos representantes da Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu. O atual gerente-geral da concessionária Cataratas S/A, responsável pelo Centro de Visitantes do Parque Nacional do Iguaçu, Adélio Demeterko, será o gestor do projeto e coordenará todas as frentes, como a obra em si, cronograma, início da operação, contratação de equipe e conceito do projeto.

Essa semana a empresa deverá enviar um documento contendo os detalhes para o início das obras no atrativo turístico localizado na região do Porto Meira. Ainda não é oficial, mas a primeira fase das obras deve encampar a área do obelisco, com previsão de ficar pronta no final deste ano.

O diretor de Desenvolvimento de Turismo da Secretaria Municipal de Turismo (SMTU), José Borges Bomfim Filho, afirmou que após a fase onde foram feitas a contratação e a licitação, a Prefeitura assume o papel de fiscalizadora do contrato, para assegurar que todos aqueles elementos constantes da proposta feita pelo concessionário, além daquelas exigências mínimas do contrato sejam cumpridas. Além de assegurar que os prazos de conclusão de obras também sejam cumpridos.

“Temos de assegurar que o volume de investimento que foi previsto no valor de R$ 27 milhões seja executado, incluindo a construção de três torres, restaurantes, loja de conveniência, café, estacionamento, área de eventos”, disse o diretor.

O técnico da Secretaria de Turismo, Leandro Vandré Heineck, acredita que, além da necessidade de revitalizar o Marco e o Espaço das Américas, o processo atende outra demanda que é estimular o aumento do tempo médio de permanência do visitante em Foz do Iguaçu. “Isso fecha com a premissa da política municipal de turismo que foi aprovada em 2014”, falou o técnico.    

Por enquanto o Marco das 3 Fronteiras está aberto para visitação e atrai moradores e visitantes de Foz do Iguaçu. O local onde está o obelisco de demarcação da divisa entre o Brasil, Argentina e Paraguai possui estacionamento, mirantes e uma lojinha de artesanato. A empresa que explora o local está avisando que encerrará as atividades no dia 10 de setembro.

Demeterko informou que mesmo com as obras iniciadas no local, a visitação não será interrompida. “O objetivo é fazer um planejamento e executá-lo de forma que as pessoas que queiram visitar o local possam fazer isso, sem problemas”, concluiu. 

 

O local possui também o esqueleto do que seria uma torre com 162 metros de altura, montado em 2007 dentro “Projeto Parque das Três Fronteiras”, pela Macuco Ecoaventura e Turismo Safári Ltda., empresa que na época venceu o processo licitatório para administrar a área do Marco das Três Fronteiras. O técnico Leandro Vandré Heineck informou que o processo com a empresa já está extinto.

 

More to explorer