Novo round contra abertura de estrada no Parque Nacional do Iguaçu

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Reunião de líderes dos partidos na Câmara dos Deputados vai discutir na terça-feira (8) projeto de autoria do deputado Vermelho

A luta dos ambientalistas brasileiros, agora com o apoio de diversos setores da sociedade para defender a integridade do Parque Nacional do Iguaçu terá na terça-feira (8) na reunião de Líderes dos partidos da Câmara dos Deputados, mais um desfecho, após o requerimento 1929/19, não entrar na pauta na última sessão da Câmara de Deputados, ocorrida na quarta-feira (2).

O requerimento solicitava em regime de urgência a apreciação do PL 984/19, de autoria do Deputado Vermelho (PSD-PR) que prevê a alteração da Lei 9.985, de 18 de julho de 2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) para criar a categoria de unidade de conservação denominada Estrada-Parque e institui Estrada-Parque Caminho do Colono no Parque Nacional do Iguaçu.

Percebendo a manobra do parlamentar governista que adiantaria a aprovação do PL, ambientalistas de várias partes do Brasil, promoveram um dia antes um tuitaço chamando a atenção de autoridades para a proposta que cortaria o Parque Nacional do Iguaçu praticamente em dois com a construção de uma estrada de 18 quilômetros na área intangível, de maior biodiversidade e refúgio das últimas onças-pintadas doo Bioma da Mata Atlântica.

Capitaneado pela Rede Pró-UC, organização que congrega 30 organizações não governamentais, voltadas para a proteção de Unidades de Conservação, o tuitaço foi endereçado às lideranças dos partidos, ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e ao deputado Vermelho.

Para a diretora-executiva da Rede Pró-UC, Angela Kuczach, a avaliação do tuitaço foi muito positiva, conseguindo a mobilização através de uma articulação bem fundamentada e muito rápida, chegando ao Governador do Estado do Paraná, a Câmara dos Deputados, ao presidente da Câmara, lideranças de bancadas, além de envolver a imprensa, a sociedade com representatividade de todo o Brasil, de ongs nacionais, internacionais, regionais, locais e a população de Foz do Iguaçu.

“Ficou muito claro que a maioria das pessoas não querem o Parque sendo rasgado pelo meio. Não querem uma rodovia dentro do Parque com esse nome fantasia de Estrada-Parque mas que representa atropelamento, caça, ilegalidades de toda a sorte, insegurança, violência, tráfico, contrabando, danos gigantescos à imagem do Brasil lá fora e consequências danosas ao turismo com turistas que vai deixar de vir ao Brasil e ao Parque pela tristeza de vê-lo desmatado para abrir essa rodovia”, disse.

Com o apoio da Frente Parlamentar Ambientalista da Câmara Federal, presidido pelo deputado Rodrigo Agostinho (PSB/SP) a nova ação do grupo é conversar com a lideranças dos partidos para barrar o projeto. Também está previsto um novo tuitaço para a próxima semana.

(Texto: Adilson Borges Lago – Foto: Marcos Labanca)

More to explorer