Oeste do Paraná intensifica defesa de projetos estruturantes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

As principais entidades do setor produtivo do Oeste do Paraná têm intensificado a defesa de projetos de desenvolvimento prioritários para a região junto ao poder público. A sociedade civil organizada tem trabalhado pela atualização do projeto executivo do ramal da Ferroeste de Cascavel a Foz do Iguaçu e pela implantação do novo porto seco trimodal na Região Norte de Foz.

O movimento é puxado pelo Programa Oeste em Desenvolvimento – que reúne todos os 54 municípios da região, além de Mundo Novo (MS), no limite com Guaíra. O POD sustenta que ambos os projetos estruturantes são estratégias definitivas para a consolidação da Nova Ferroeste e do Corredor Bioceânico ligando o Porto de Paranaguá ao Porto de Antofagasta, no Chile.

A definição pelos dois projetos ocorreu após debates que reuniram representantes de mais de 60 instituições públicas e privadas, como empresas, cooperativas, entidades de apoio e fomento, sindicatos, associações de classe, universidades e centros de pesquisa e tecnologia que atuam no território. Passo seguinte foi embasar os projetos com estudos técnicos detalhados sobre a viabilidade e a importância das obras estruturantes.

Com o estudo técnico em mãos, o POD entregou recentemente uma moção de apoio aos dois projetos para representantes dos governos federal e estadual. O documento foi repassado em mãos ao governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, durante o encontro Governo 5.0. Também foi entregue ao diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, em recente evento do POD e da Caciopar.

Gargalos – Conforme o presidente do POD, Danilo Vendruscolo, a moção de apoio visa a avançar ainda mais nas ações prioritárias de desenvolvimento. “É necessário resolvermos definitivamente o gargalo de infraestrutura e logística da região, que sem dúvida alguma hoje é o maior fator de estrangulamento do nosso crescimento, impossibilitando que a região exerça todo o seu potencial, há muito represado e prejudicado”, diz.

Vendruscolo ressalta ainda que o Programa Oeste em Desenvolvimento realizou um intenso trabalho de consulta e articulação com as principais lideranças de todas as esferas empresariais, associativistas, cooperativistas e públicas do Oeste e do Paraná, “para que fosse possível chegar a um denominador comum e a uma posição coletiva em relação ao tema”.

Estruturantes – A moção de apoio reúne todos os pontos fundamentais, estudos técnicos, pareceres e perspectivas que embasam a decisão do colegiado. O documento apresenta ainda os resultados que serão buscados a partir do avanço das estratégias estabelecidas, ratificadas e assinadas pelos principais líderes do setor produtivo paranaense.

A proposta pretende consolidar o projeto da Nova Ferroeste e do Corredor Bioceânico ligando o Porto de Paranaguá a Encarnación (Paraguai) e a Posadas (Argentina), chegando a Resistência, na província do Chaco (Argentina). Dessa forma conectando-se à malha férrea que leva até o Porto de Antofagasta (Chile).  Importante observar que o projeto não inviabiliza o trecho de Maracaju a Paranaguá, que também se mantém dentro das prioridades dos governos e lideranças regionais.

Ainda segundo o presidente do POD, são esperados também diversos impactos positivos para a Ferroeste, como um grande aumento da demanda de transporte por ferrovia, maior robustez do posicionamento estratégico da Ferroeste e mais interesse numa eventual opção de concessão.

A moção de apoio é assinada pelos presidentes do POD, da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná), Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná). Também assinam os dirigentes das cooperativas C Vale, Coopavel, Copacol, Copagril, Frimesa, Lar e Primato.

Integram a lista a Caciopar (Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná), AMOP (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná), Acamop (Associação das Câmaras Municipais do Oeste do Paraná). Completam a relação as associações comerciais e conselhos de desenvolvimento de Cascavel, Foz, Marechal Cândido Rondon, Medianeira e Toledo, bem como a Regional Oeste do Sebrae PR e o Conselho Municipal de Turismo de Foz.

Território Integrado – O Programa Oeste em Desenvolvimento é uma ação de governança territorial regional que busca promover o desenvolvimento econômico sustentável do Oeste do Paraná, por meio de sinergia das instituições e integração de iniciativas, projetos e ações. O programa estabelece estratégias de maneira organizada e participativa para a tomada de decisões, sempre buscando ações de capazes de aumentar a competitividade do território.

Explore mais