Parceria entre Itaipu e ICMBio inclui soltura de onça-parda no Parque Nacional de Ilha Grande

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Assinado na quarta-feira (30), protocolo de intenções também prevê ações de pesquisa, conservação, turismo e educação ambiental.

A Itaipu Binacional e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) assinaram, na tarde desta quarta-feira (30), no Centro Executivo da Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), um protocolo de intenções que prevê uma série de ações conjuntas entre as duas entidades. Uma delas será a soltura de uma onça-parda no Parque Nacional de Ilha Grande, já prevista para as próximas semanas. O acordo também inclui atividades nas áreas de pesquisa, conservação, inovação, educação ambiental, desenvolvimento regional, entre outras.

“Nossas duas instituições têm muito em comum: o ICMBio foi criado com a finalidade de conservação do meio ambiente, da biodiversidade, temas tão caros para nosso País e para o mundo. E a Itaipu traz em sua certidão de nascimento, o Tratado de Itaipu, o cuidado com o meio ambiente que, ao longo do tempo, foi se intensificando”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira, que reforçou a importância de preservar a água para geração de energia.

Para o presidente do ICMBio, coronel Fernando Cesar Lorencini, as duas instituições ganham muito com a assinatura do protocolo de intenções. “Nossa missão é cuidar da biodiversidade e isso se torna muito mais fácil com parcerias como esta”, disse. Também participaram da cerimônia os diretores da Itaipu general Luiz Felipe Carbonell (Coordenação) e almirante Anatalicio Risden Junior (financeiro executivo); além da chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Cibele Amato, e outros profissionais do ICMBio.

O protocolo tem uma vigência de 180 dias e prevê a execução de atividades por meio de convênios e com planos de trabalho em cinco linhas de ações. Entre as futuras atividades está uma integração entre as ações de educação ambiental desenvolvidas no Refúgio Biológico Bela Vista e no Ecomuseu da Itaipu com aquelas realizadas no Parque Nacional do Iguaçu. Desta forma, será possível fazer uma abordagem maior, com o uso de material conjunto pelas duas entidades.

Também estão previstas propostas na área do turismo, com uma maior divulgação dos atrativos PNI e Itaipu, especialmente, em relação ao turismo de natureza. A Itaipu pode ainda, por meio do Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), desenvolver tecnologias de fiscalização e monitoramento dos animais, como câmeras inteligentes que reconhecem a fauna e até eventuais caçadores na região.

Soltura da onça-parda
A primeira ação já dentro do protocolo de intenções é a soltura da onça-parda (Puma concolor) macho que está desde julho de 2019 sob os cuidados dos profissionais do Refúgio Biológico de Itaipu. A onça, batizada de Leôncio, foi resgatada após um atropelamento na rodovia BR-163, em um local próximo à cidade de Mercedes, no Oeste do Paraná. O animal estava inconsciente quando foi levado ao RBV pela Polícia Ambiental de Foz do Iguaçu, tinha uma lesão no pulmão e uma fratura na pata traseira direita.

Após o atendimento emergencial, a onça teve a pata totalmente reconstruída e ficou sob os cuidados profissionais do RBV até a oportunidade de devolvê-la a natureza. O Parque Nacional de Ilha Grande foi escolhido porque é a região original do animal. Além de autorizar a soltura no Parque, o ICMBio será parceiro da Itaipu no contínuo monitoramento dessa onça, para garantir sua preservação.

(Fotos: Sara Cheida / Itaipu Binacional)

More to explorer