Passagem da Tocha Olímpica atrai milhares em Foz do Iguaçu

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

{gallery}tochario{/gallery}

Uma grande festa no Gramadão da Vila A, no começo da noite desta quinta-feira (30), marcou o fim do revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016 em Foz do Iguaçu (PR). Milhares de pessoas foram até o local para saudar a passagem da tocha e acompanhar os shows artísticos, entre elas, brasileiros, paraguaios e argentinos.

O revezamento começou às 15h em frente ao 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado (Bimec), na Avenida República Argentina (centro). De lá, passou pelas principais vias e marcos da cidade, como as praças do Mitre e da Bíblia e a Mesquita Omar Ibn Al-Khatab.

Em todo o percurso de 20 quilômetros, a tocha foi carregada por mais de 90 condutores, alternadamente. O último trecho foi percorrido pelo ativista esportivo e ambiental Tacius Lima, que recebeu a tocha das mãos do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.

Cercados pela multidão, Tacius e Samek correram os últimos metros do revezamento, até alcançar a rampa que levava ao palco do Gramadão. Lá, foi acesa a pira de celebração, o momento mais aguardado do revezamento na cidade.

Emocionado, Samek disse que Foz do Iguaçu é uma das cidades mais lindas do mundo, tem as Cataratas do Iguaçu, a usina de Itaipu Binacional, faz fronteira com três países (Brasil, Paraguai e Argentina) e abriga mais de 80 nacionalidades diferentes, que convivem em harmonia. “Por isso, em nome de Foz, desejo que essa Olimpíada marque época no sentido de construir um mundo cada vez melhor”, afirmou.

 {gallery}tochario1{/gallery}

Samek lembrou ainda que é filho da terra – ele nasceu em Foz do Iguaçu –, viveu a grande transformação da cidade com a instalação de Itaipu, e hoje tem “a honra de dirigir uma empresa considerada modelo na produção de energia e integração dos povos”.

“Este é um momento ímpar que eu vou levar eternamente gravado. Um sentimento de emoção muito forte que eu quero compartilhar com todos os que ajudaram a fazer desta cidade uma das mais importantes do Paraná e do Brasil”, completou.

O superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, que também participou do revezamento, disse que carregar a tocha “foi um privilégio, um fato marcante na minha vida e uma oportunidade única, porque talvez ela nunca mais passe por aqui”. “A imagem da tocha em Foz do Iguaçu vai percorrer o mundo pela beleza dos nossos atrativos”, disse.

E completou: “Na Olimpíada, há sempre um filme da passagem da tocha da edição anterior. E certamente Foz do Iguaçu estará entre os melhores momentos da condução da tocha pelo Brasil neste vídeo nos Jogos de Tóquio (2020). Esta imagem ficará eternizada na divulgação da mídia e na memória de todos”.

O coordenador local do evento, Paulo Chrusciak, da Secretaria Municipal de Esportes, informou que Foz do Iguaçu foi a cidade que mais teve cadastramento de veículos de comunicação para acompanhar a passagem da tocha, incluindo 30 estrangeiros. “Essa boa imagem da cidade será levada para todo o mundo.”

Rock e acordeão

O público que foi até o Gramadão para ver a chegada da Tocha Olímpica foi recebido por diversas atrações musicais, de diferentes estilos. Patrocinadores do evento levaram réplicas das tocha para que as pessoas pudessem tirar fotos e publicar nas redes sociais. O clima era de festa.

O primeiro grupo a subir no palco, às 16h30, foi a banda Teleféricu’s, que tocou sucessos do rock nacional dos anos 80 e 90 – de bandas como Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho e Titãs.

Na sequência, Tiago Rossato, considerado um dos mais respeitados acordeonistas de gaita ponto do Brasil, apresentou uma seleção de músicas e estilos que representam as tradições culturais da região, como tango, guarânia, milonga, chamamé, música gaúcha e até referências árabes.

Logo após a cerimônia oficial de entrega da tocha, a pira foi apagada e o fogo olímpico transferido para um pequeno lampião. De Foz, o revezamento da tocha segue para Pato Branco. O resto da noite foi comandada pela Orquestra Paranaense de Viola Caipira e a acordeonista Maryanne Francescon.

{gallery}tochario2{/gallery}

Famosos e anônimos

Entre os 80 condutores de Foz do Iguaçu, anônimos e famosos, do Brasil e do exterior, dividiram a honra de carregar a Tocha Olímpica. Uma das presenças mais aguardadas era a do youtuber chileno Germán Garmendia, famoso pelos seus canais HolaSoyGermán e JuegaGerman.

De acordo com informações do comitê olímpico, ele está entre os cinco youtubers mais populares do mundo: seu canal é atualmente o segundo colocado em número de assinaturas (e o primeiro em língua espanhola) com 28.120.097 seguidores.

Outra participação especial foi a do músico Lang Lang, o primeiro pianista chinês contratado pelas orquestras filarmônicas de Viena e de Berlim. Ele é considerado uma celebridade no mundo da música clássica, garoto-propaganda de grifes e marcas famosas e símbolo da presença cultural chinesa no Ocidente.

Do mundo do cinema, chamou a atenção a presença da atriz, modelo e ativista ambiental argentina Calu Rivero, que atuou ao lado de Ricardo Darín no filme Tesis sobre un homicidio (2013).

Do vizinho Paraguai, carregou a tocha a atleta olímpica Leryn Franco Steneri, recordista do lançamento de dardos em seu país. Ela é a única mulher paraguaia a participar de três jogos olímpicos (Grécia, China e Londres).

Entre os iguaçuenses, uma das mais emocionadas era Clóris Maia Veiga, 80 anos, aposentada, mãe de cinco filhos, onze netos e cinco bisnetos. Clóris foi administradora do antigo Hospital São Vicente de Paula e presidente da Liga Iguaçuense de Futsal por 20 anos.

Antes e depois, imagens cênicas

Ainda nesta quinta-feira (30), antes de chegar a Foz do Iguaçu, o comboio da Tocha Olímpica passou por Matelândia, Medianeira, São Miguel do Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu.

Na Terra das Cataratas, a tocha ficará um dia a mais, até sexta-feira (1º), fora do revezamento oficial, para percorrer e fazer imagens em alguns dos principais pontos turísticos da cidade – como o Parque Nacional do Iguaçu, Itaipu Binacional, Templo Budista e o Marco das Três Fronteiras.

Na Itaipu Binacional, a tocha vai passar pelo Mirante do Vertedouro, Mirante Central, pista ao lado dos condutos forçados, topo da barragem e Canal da Piracema. De Foz, seguirá para Pato Branco.

Em todo o Brasil, o revezamento olímpico irá percorrer mais de 300 municípios, de todos os 26 Estados e Distrito Federal, somando 20 mil quilômetros de estradas e 10 mil milhas aéreas. A chegada ao Rio de Janeiro está prevista para o dia 4 de agosto, um dia antes da abertura oficial dos Jogos Olímpicos.

(Itaipu Binacional – Fotos: Nilton Rolin e Alexadre Marchetti)

More to explorer