Prevenção é a melhor solução contra afogamento, aponta seminário

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

O Seminário Regional de Prevenção de Afogamentos e Acidentes em Piscinas reuniu cerca de 70 pessoas, entre bombeiros militares e civis, recreadores e funcionários de hotéis e parque aquáticos de Foz do Iguaçu e região.

O evento foi promovido no Centro de Capacitação Sindhotéis, na terça-feira (24), e contou com a participação do presidente do Sindhotéis, Neuso Rafagnin, e do diretor-executivo da entidade, Plácido Oliveira.

O seminário iniciou com a palestra do comandante do 9º Grupamento de Bombeiros de Foz do Iguaçu, major Antonio Schinda, que abordou   prevenção como a melhor maneira de evitar acidentes com afogamentos. O major mostrou que é possível prevenir ocorrências com medidas básicas.

Entre as dicas está o isolamento de piscinas para que crianças não caiam por descuido, a utilização de filtros de sucção modernos, a divisão da potência das bombas de sucção e chaves de interrupção do motor da bomba de fácil acesso.

Conforme a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), da qual Schinda é diretor, cerca de 6,5 mil pessoas morrem anualmente afogadas no Brasil. Desse total, a maioria é criança do sexo masculino.

“Esperamos disseminar essas informações para trabalhar a prevenção. Agora o nosso objetivo é implementar políticas públicas de prevenção mais ativas para diminuir o número de afogamentos em nossa região”, disse o oficial.  

Segundo o diretor-executivo do Sindhotéis, Plácido Oliveira, a preocupação do sindicato é sempre proporcionar um turismo de qualidade e seguro aos hóspedes e visitantes dos hotéis, motéis e parques aquáticos, para que não venham a sofrer por um incidente ou acidente não desejado, principalmente por falta de conhecimento.     

“Essa é a razão pela qual o sindicato, juntamente com o Corpo de Bombeiros, resolveu promover esse seminário para esclarecer e orientar todos os empresários e técnicos que trabalham em recreação e manutenção de hotéis. Estabelecer padrões para que o turismo seja praticado de uma forma saudável e segura”, informou o diretor.  

Houve também a exposição do soldado Leonardo Pereira Triaca, sobre a fisiopatologia do afogamento, abordando as causas, as principais tecnologias e as escalas do afogamento, dando ênfase ao tratamento do afogado.

O evento fechou com a palestra do primeiro-tenente Jonatas Theodoro, comandante do Corpo de Bombeiros de Medianeira, que mostrou o estudo de caso da teoria prática do projeto Município +Resiliente, implantado em Missal e que teve como resultado nenhum afogamento no ano passado.

(Grampo Comunicação)

 

Explore mais