Projeto de duplicação da Rodovia das Cataratas entra na fase de licença ambiental

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

 O projeto de duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas, só depende agora de liberação da licença ambiental, antes de finalmente ser entregue ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT) O projeto foi encaminhado à análise do Instituto Ambiental do Paraná na última segunda-feira (6). O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz) vai promover uma reunião ainda este mês, para apresentar o projeto à comunidade.

“O licenciamento ambiental é condição sine qua non para o DNIT receber o projeto e incluí-lo entre suas obras prioritárias”, afirma o superintendente de Comunicação Social de Itaipu, presidente do Fundo Iguaçu e também secretário do Codefoz, Gilmar Piolla. A expectativa dele é que as obras sejam incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) de 2016. O projeto foi desenvolvido pelo Iguassu Convention& Visitors Bureau, com apoio da Itaipu Binacional e do Fundo Iguaçu. 

Duplicação – O DNIT receberá os projetos básicos e de engenharia, assim como os estudos de impacto e o licenciamento ambiental. Pelo projeto, a rodovia será alargada nos dois lados, no trecho de 8,8 km entre o trevo de acesso à Argentina e os portões do Parque Nacional do Iguaçu, o que permitirá o aproveitamento da faixa de domínio do DNIT. As obras incluem a construção de avenidas marginais em boa parte do trecho.

O projeto prevê também ciclovias dos dois lados da pista, duas passarelas de pedestres, cinco retornos em nível com faixas extras de desaceleração e aceleração, um viaduto no acesso ao aeroporto, duas trincheiras, ponte elevada no rio Tamanduá e uma rotatória nas proximidades da entrada do Parque Nacional do Iguaçu. O custo previsto para todas as obras é de R$ 98 milhões.   

A principal preocupação do projeto foi com a segurança dos usuários da rodovia e dos pedestres. A implantação das ciclovias permitirá que este tipo de transporte seja feito também de forma segura entre o Parque Nacional do Iguaçu e a Avenida das Cataratas. O projeto de revitalização da Avenida das Cataratas prevê a construção de ciclovias em todo o percurso, desde a Avenida Jorge Schimmelpfeng até o trevo de acesso à Argentina, interligando-as com as ciclovias da BR-469.

(Itaipu Binacional)

Explore mais