Reunião define passagem da Tocha Olímpica por Foz do Iguaçu e região

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Prefeitos e secretários das cidades paranaenses que participarão do Revezamento da Tocha Olímpica pelo estado se reuniram com representantes do governo federal e do Comitê Rio 2016 nesta sexta-feira (20.11) em Foz do Iguaçu para os ajustes operacionais da passagem da chama. O encontro ocorreu no centro de convenções do Hotel Bourbon Cataratas e distribuiu atribuições em áreas estratégicas como planejamento, turismo, segurança e defesa, cultura e mobilidade. No Paraná, a chama pernoitará nas cidades de Londrina, Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Pato Branco e Ponta Grossa, mas passará por diversos outros municípios.

Na cerimônia de abertura do encontro em Foz do Iguaçu, o ministro do Esporte, George Hilton, destacou que o estado do Paraná tem um forte apelo turístico e estratégico para a união continental. Hilton revelou que há uma intenção do governo federal em convidar ministros do Esporte de países que fazem fronteira com o Brasil para que participem da passagem da chama.

“Como em 2016 teremos os primeiros Jogos Olímpicos na América do Sul, precisamos celebrar a integração sul-americana – e aqui em Foz temos a tríplice fronteira. Nossa intenção é convidar os ministros do Esporte do Paraguai e da Argentina para que participem da passagem da tocha aqui na cidade. Também convidaremos os ministros dos outros países que fazem fronteira com o Brasil para participarem do revezamento em cidades de estados fronteiriços”, afirmou George Hilton.

O secretário de Assuntos Federativos da Presidência da República, Olavo Noleto, ressaltou que as Olimpíadas mudaram a agenda esportiva do país. “Os Jogos já são um marco evolutivo para o esporte nacional. Para nós, hoje, estamos começando as Olimpíadas no estado do Paraná. Todos aqui presentes a esta reunião, tenho certeza, imaginaram a passagem da tocha em suas cidades. Saibam que, somente o comboio oficial, são 120 veículos passando pelo município. A tocha vai fazer que muita gente conheça e se apaixone por cada uma das cidades que ela percorrerá. Durante o tempo que a chama passar em cada município, aquela será a cidade olímpica.”, disse Noleto.

O secretário de Esporte e Turismo do Estado do Paraná, Douglas Fabrício, afirmou que a tocha tem um papel importante de nacionalização do megaevento. “Os turistas não ficarão apenas no Rio de Janeiro e eles precisam conhecer outras cidades. Com a tocha cada município poderá mostrar seu potencial turístico para o Brasil e para o mundo”, comentou o secretário.

Ainda estiveram presentes à mesa da cerimônia de abertura da reunião o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira; o coordenador do revezamento da Tocha pelo Comitê Organizador Rio 2016, general Marco Aurélio Costa Vieira; o diretor de Comunicação da Itapiu Binacional Gilmar Biola; o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini;  e os atletas de canoagem slalom Pedro Gonçalves e Felipe Borges.

Pedro, campeão pan-americano, destacou a importância do apoio governamental aos atletas brasileiros. “Estamos aqui falando da Tocha Olímpica – e ela tem o poder de envolver todo o país e mostra que os Jogos não são só no Rio. Os Jogos são do Brasil. Estou há dez anos na canoagem slalom e sempre recebi apoio do Ministério do Esporte. Participei de projetos, como o Meninos do Lago, e hoje recebo Bolsa-Atleta e tenho como treinar em um dos melhores centros do mundo, no Canal de Itaipu, aqui em Foz do Iguaçu. A oportunidade de participar dos Jogos Olímpicos não seria possível sem todo esse estímulo”, afirmou o atleta.

Série de reuniões – O revezamento da Tocha Olímpica no Brasil terá início em Brasília, no dia 3 de maio de 2016 e percorrerá cerca de 20 mil quilômetros, em comboio rodoviário, por cerca de 330 cidades brasileiras. O final do trajeto será no Rio de Janeiro, no dia 4 de agosto, véspera da abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

A discussão em Foz do Iguaçu faz parte de uma série de reuniões preparatórias em todos os estados brasileiros. Este modelo foi utilizado com sucesso durante a preparação para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Na reta final antes do evento, as 12 cidades-sede receberam um total de 185 reuniões de planejamento operacional, em iniciativa que mobilizou 29 órgãos do governo federal, 90 órgãos locais e cerca de 2.200 gestores.

Canoagem slalom – Após a abertura da reunião preparatória, o ministro George Hilton seguiu para as instalações do Centro de Treinamento de Canoagem Slalom. O centro foi construído no Canal Itaipu e integra a Rede Nacional de Treinamento. A instalação, resultado de uma parceria do Ministério Esporte e a Prefeitura de Foz do Iguaçu, contou com recursos no valor de R$ 3 milhões repassados pelo ministério.

(Ascom – Ministério do Esporte)

 

More to explorer