Salão mostra a força do turismo de Campos Gerais

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Ponta Grossa sediou de 27 a 30 de agosto a primeira edição do Salão de Turismo dos Campos Gerais. O evento, realizado no Palladium Shopping teve como mote da campanha o slogan, “A vida é muito curta para viajar apenas nas férias. Descubra os Campos Gerais”, recebeu mais de 6 mil pessoas e foi considerado um sucesso.

O Salão de Turismo dos Campos Gerais foi organizado pela Adetur (Agencia de Desenvolvimento do Turismo dos Campos Gerais) Fumtur (Fundação Municipal de Turismo de Ponta Grossa), PGCGC&VB (Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau e Sebrae-PR.

Durante o evento que contou com a participação de expositores do trade turístico e principais atrações da região no mesmo espaço e um programação especial, foram apresentados a diversidade de produtos consolidados nas cidades da região, tendo espaço para o artesanato, manifestações culturais e gastronomia. A programação contou com apresentação de cases de sucesso, aula show de gastronomia com releitura de pratos típicos, comercialização e promoção de destinos (regional).

Segundo o presidente da Adetur, Douglas da Costa, o evento demonstrou o que a região tem de melhor aos visitantes e moradores. “O Salão de Turismo dos Campos Gerais veio em boa hora, pudemos mostrar que a região está estruturado para receber visitantes”. 

O sucesso foi tanto, que em 2016 o I Salão terá espaço no Festival Internacional de Turismo das Cataratas (FIT), considerado o segundo maior festival do gênero da região sul. “Estar no FIT é uma marco para a região e mostra que os Campos Gerais do Paraná está se desenvolvendo para ser um destino turístico do Estado”, afirma Douglas da Costa.

Diversas autoridades passaram pelo Salão, como o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimenes, que conheceu estandes, ministrou palestras e conversou com os jornalistas participantes da Presstur. Segundo Gimenes, a região está se desenvolvendo e logo os Campos Gerais do Paraná será rota fixa do turismo paraense. “Estou saindo impressionado, o evento mostra a força de todos os envolvidos no turismo, que em breve será um dos maiores eventos do Estado”.

 

A cidade criada na rota de tropeirismo brasileiro

O município de Castro explora o turismo com sua parte histórica vindo de sua criação atráves do tropeirismo no século 18 e da imigração de alemães, poloneses, holandeses e japoneses no final do século 19, que com o passar dos anos transformaram a cidade num centro de referência em produção agrícola e pecuária. 

Localizadas às margens do Rio Iapó, Castro possui o Museu do Tropeiro e a Casa da Sinhara. O primeiro apresenta a exposição Tropeirismo, onde o foco é o cotidiano da lida tropeira, e na exposição Casa de Sinhara, seccional do Museu, expõe os objetos relativos ao ambiente doméstico no século 19 e 20.

Na mesma praça dos museus está localizada a Igreja Nossa Senhora Sant’ana, considerada outro atrativo histórico. Sua construção foi iniciada em 1774 e concluída somente em 1860. Em seu interior encontram-se esculturas de madeira feitas pelo Frei Mathias de Gênova, no século passado e lustres de Cristal, e um sino de bronze, doados por D. Pedro II, em sua passagem pelo local em 1880. 

Mais informações sobre horários e como chegar a Castro, acesse o site www.castro.pr.gov.br.

 

Moinho holandês 

Outro atrativo interessante é o memorial da imigração holandesa, o Moinho. Localizado Colônia Castrolanda, distante apenas sete quilometros de Castro, ele foi inaugurado no dia 30 de novembro de 2001, como homenagem aos imigrantes holandeses da década de 1950 que colonizaram a região.  Além do moinho onde o visitante pode entrar em sua cúpula e conhecer detalhes da estrutura, o local contém uma biblioteca comunitária, a loja Artelanda, e uma réplica de um “Kroeg” que é um bar típico holandês, e um salão de festas. 

O atrativo também conhecido também por De Immigrant (O Imigrante) é dos maiores moinhos de vento do mundo, com 26 metros de envergadura, 37 metros de altura, com capacidade para produzir até três mil quilos de farinha de trigo. O projeto foi assinado e executado pelo arquiteto holandês Jan Heijdra, um dos maiores especialista em moinhos de vento do mundo.

O atrativo é aberto de sexta-feira a domingo e feriados, das 14h às 18h. O ingresso em geral custa R$ 6. Mais informações, ligue (42) 3234-1231 ou acesse o site www.moinhocastrolanda.com.br.

{gallery}Feira de turismo campos gerais{/gallery}

 

 

  

 

More to explorer