Voluntários recolhem uma tonelada de lixo do Arroio Santa Rosa

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Ambientalistas, estudantes universitários, técnicos e ativistas sociais realizaram mutirão de limpeza das nascentes do Arroio Santa Rosa, neste sábado, 11. A campanha é uma iniciativa da ADERE (Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia) em parceria com o MP/PR (Ministério Público do Paraná) e as Faculdades Anglo-Americano.

Com os trabalhos executados ao longo de todo o sábado, os voluntários retiraram uma tonelada de materiais, entre pneus, garrafas, latas e partes de automóveis, além de grande quantidade de microlixo, que são papéis, plásticos, embalagens e restos de cigarro. Para recolher esses resíduos, os participantes da ação ambiental precisaram entrar no rio e percorrer parte do seu leito.

Localizado na região do KLP, área norte do município, o arroio nasce nas imediações da associação Casa Paraguaia e flui por quatro quilômetros em direção ao Rio Almada, ao Porto Belo, até encontrar a sua foz. O Jardim Santa Rosa é um dos principais bairros da região e foi batizado com esse nome em referência ao riacho.

Conforme o presidente da ADERE, Raby Khalil, a ação de recuperação e preservação do Arroio Santa Rosa será permanente, desenvolvida nos próximos dez anos. “A limpeza do rio marca o início do trabalho entre a ADERE, o Ministério Público e outras instituições. Queremos estabelecer um novo olhar sobre a questão ambiental na cidade”, frisou.

Khalil informa que as medidas futuras envolverão os moradores nas atividades, como forma de despertar a importância da preservação do Rio Santa Rosa entre as pessoas que vivem nos bairros próximos ao manancial. “A participação da comunidade é indispensável em qualquer proposta de conservação do ambiente natural. Vamos realizar ações diretas e campanhas socioeducativas”, explicou.

A Casa Paraguaia, associação situada nas proximidades das nascentes do Rio Santa Rosa, é um histórico centro cultural, social e esportivo de Foz do Iguaçu. Parte da infraestrutura e do espaço físico da instituição é usada como local de treinamento por atletas da ADERE que praticam esportes de aventura, como a modalidade de slackline.

Laboratório natural

O biólogo Heraldo Pereira Garcia, integrante da ADERE, explica que a limpeza do Arroio Santa Rosa serviu para o reconhecimento da área, que será utilizada pela associação para o desenvolvimento de projetos de estudos de biodiversidade e educação ambiental. “A região da Casa Paraguaia é um remanescente de áreas úmidas e de mata nativa que precisa ser preservado”, enfatizou.

De acordo com Garcia, o objetivo é captar recursos para a manutenção de programas permanentes. “Estamos elaborando projetos para instituições internacionais a fim de reunir recursos para assegurar intacta e preservada essa área”, destacou. “O espaço poderá ser um laboratório a céu aberto para estudos, e, com a estrutura física da Casa Paraguaia, tem tudo para ser um grande centro de educação ambiental”, concluiu.

ADERE

Fundada em maio de 2000, a ADERE é uma associação esportiva e de proteção ambiental. Realiza anualmente o Festival River Games, evento regional que alia a prática esportiva à natureza. Reconhecida como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), a ADERE compõe o Conselho Consultivo do Parque Nacional do Iguaçu.

(Grampo Comunicação – Fotos: Marcos Labanca)

{gallery}Adere{/gallery}

 

More to explorer